quarta-feira, 4 de maio de 2016

Tipos de Panelas: qual você prefere?



Ferro:
A utilização desse tipo de panela traz alguns benefícios à saúde. Foi provada a transferência do mineral presente na superfície das panelas de ferro para os alimentos, transformando-as em importantes aliadas no combate à anemia. O mesmo foi constatado para as panelas de aço inox. Mas tenha cuidado com a manutenção. Ela pode enferrujar facilmente e, se esfregada, a ferrugem pode se soltar.

Alumínio polido:

tem um acabamento mais polido do que a panela de alumínio batido. Hoje sabe-se que o alumínio pode ser prejudicial à saúde, mas apenas se a panela for mau usada.Se for bem lavada e conservada, e se as recomendações de não usar esponja de aço, não raspar e ferver água antes do uso forem obedecidas, a panela de alumínio é perfeitamente segura. Há estudos científicos que mostram que uma panela de alumínio bem conservada não libera alumínio nos alimentos durante o cozimento.

Inox:
A principal vantagem é o fato de as panelas não oxidarem. Além disso, o material é resistente e distribui o calor de forma igual por sua superfície.

Barro:

Indicada para fazer alimentos líquidos ou com caldo, como sopas, molhos, feijão e ensopados. Assim como a panela de cerâmica, demora para esquentar, mas mantém o calor por um longo período de tempo. Alimentos com baixo teor de água podem ficar ressecados se preparados nessa panela.

Alumínio batido/fundido
:
Panelas de alumínio fundido que são excelentes, muito fortes e suportam altas temperaturas, em geral usadas profissionalmente em bares e restaurantes. As panelas de alumínio são as melhores entre todas as outras para fritura por imersão. E nem precisa ariar demais: a mancha escura é uma proteção contra contaminação.

Cobre:

Assim como as inoxidáveis, as panelas de cobre são boas condutoras de calor. Mas não podem ser utilizadas para cozinhar todo tipo de alimento. Ao entrar em contato com o sal ou alimentos ácidos como tomate, limão e vinagre, o cobre pode se desprender da panela.

Cerâmica:
Apesar de serem um pouco mais caras que as outras panelas, o investimento vale a pena, já que são fáceis de limpar, antiaderentes e conservadoras de calor. Demora mais tempo que o normal para esquentar, o que faz com que o consumo de energia aumente.

Vidro:
Um dos modelos mais seguros para a saúde, a panela feita desse material não possui nenhum tipo de contraindicação. É fácil de limpar e não passa nenhum tipo de substância para os alimentos durante o preparo. Por outro lado, é cara, pesada, frágil e não pode ser reciclada por ser feita com vidro temperado.

Pedra: 
Indicada para o preparo dos mesmos tipos de alimentos que podem ser feitos na panela de barro. Por ser porosa, pede atenção especial ao ser lavada, para que não haja proliferação de microrganismos. Aqueça-a em fogo baixo, para que a panela não rache pelo choque térmico.

Esmaltada:
As panelas esmaltadas ou de ágata são muito decorativas mas lascam o esmalte facilmente e podem eventualmente contaminar os alimentos nelas preparados. As panelas fabricadas anteriormente a 1980 só devem ser usadas para decoração – também não use se houver pinturas ou decalques na superfície interna.

Antiaderente:
De fácil utilização, esse é o mais controverso tipo de panela disponível no mercado. Em sua composição existem ácidos extremamente problemáticos. Quando expostos a altas temperaturas, libera gases tóxicos que causa sintomas similares aos da gripe. Se sua panela antiaderente estiver riscada ou se sua superfície estiver se desprendendo, descarte-a imediatamente.

Fonte:http://www.ecycle.com.br