terça-feira, 27 de maio de 2014

Fermento Natural para Pães, feito em Casa


Muita gente me pergunta como fazer o fermento natural caseiro, aquele que precisa de alguns dias para ficar pronto. Devo confessar que a ideia é interessante, mas pouco prática. A minha impaciência não seria capaz de esperar para ficar pronto... Quando vou fazer um pão, uso o fermento fresco, mas comprado na padaria. De qualquer forma, para atender às pessoas que querem saber essa técnica tradicional, encontrei no blog Testado, Provado e Aprovado uma ótima explicação, super completa com fotos, vídeos e passo a passo.

Compartilho aqui integralmente a receita do Fermento Natural:

"Deixe-me contar como foi a minha experiência :"

Um amiga (Jessica) nos forneceu algumas receitas de pão para fazer usando fermentação natural, ou seja, sem o uso de fermento biológico comprado pronto. Eu escolhi fazer o Pão Rústico Francês (que é parecido com a broa Italiana no Brasil).


PÃO RÚSTICO FRANCÊS
Rende 1 pão grande e fermento natural extra para futuros pães.

O FERMENTO NATURAL

1° Dia

Ingredientes:
40 g de farinha de trigo integral
45 ml de água
(isto vai resultar em 85g de fermento natural)

Modo de Fazer:
Em uma tigela plástica, mistura a farinha e a água até formar uma pasta.



Cubra e deixe descansar em local morno (uns 30°C). Se a temperatura estiver abaixo disso, não se preocupe, só vai levar mais tempo, mas a fermentação ocorrerá.

2° Dia

Ingredientes:

40 g de farinha de trigo integral
45 ml de água
85 g do fermento natural resultante do 1° dia
(Resultado: 170 g de fermento natural)

Modo de Fazer:
Mistura a farinha e a água à mistura do 1° dia. Cubra e volte ao local morno para descansar.

3° Dia

Ingredientes:

40 g de farinha de trigo integral
20 ml de água
170 g do fermento natural resultante do 2° dia.
(Resultado: 230 g de fermento natural)

Modo de Fazer:
 Mistura a farinha e a água à mistura do 2° dia, cubra e volte ao local morno para descansar.

4° Dia

Ingredientes:

120 g de farinha de trigo branca
100 ml de água
230 g do feremnto natural resultante do 3° dia
(Resultado: 440 g de fermento natural)

Modo de Fazer:
Mistura a farinha e a água à mistura do 3° dia, cubra e volte ao local morno para descansar. 
A esta altura, a mistura deverá começar a criar bolhas e exalar um cheiro de fermento. 

"Dicas importantes:
Não exponha o fermento ao sol, não use batedeira, nem colher de metal para misturar os ingredientes, pois o metal acaba com a levedura. Quando estiver aguardando os dias para o fermento ficar pronto, apenas tampe o vidro com um tecido úmido. A cada 24 horas você deverá mexer a massa. O cheiro deverá ser semelhante ao da cerveja, pois no fermento se formará álcool."


Se isto não acontecer, repita o procedimento do 4° dia por um ou mais dias até que apresente estas características.

PÃO RÚSTICO FRANCÊS

1° Passo: Alimentar o fermento

Ingredientes:

160 g do fermento natural resultante da etapa anterior
50 g de farinha de trigo integral
150 g de farinha de trigo branca
120 ml de água
(Resultado Total: 480 g)

Modo de fazer:
Misture tudo até formar ma massa grudenta. Cubra e deixe descansar por umas 4 horas até que forme bolhas e tenha crescido um pouco.


2° Passo: Fazer a Massa do Pão

Ingredientes:

100 g de farinha de trigo integral, mais um pouco para polvilhar
300g de farinha de trigo branca
1¼ de colh. de chá de sal marinho ou 2/3 de colh. de chá de sal de mesa
300 ml de água
300 g do fermento já alimentado do 1° Passo – isso deve resultar em uma xícara extra de fermento para um próximo pão.
(Total: 1007 g)

Directions:
Misture tudo (menos o fermento do 1° passo formando uma massa mole.

Sove esta massa por 8 a 10 minutos em bancada SEM FARINHA, umedecendo as pontas dos dedos se necessário. Use uma espátula para raspar a massa da bancada se necessário. O procedimento é basicamente esticar a massa e dobrá-la sobre si própria, co o objetivo de torná-la mais elástica.


A Jessica demonstra esse procedimento neste VIDEO

Espalhe a massa formando um círculo, e no meio coloque o fermento natural do 1° passo.  Comece a dobrar a massa sobre o fermento para incorporá-lo, aos poucos. Sove aé que estejam misturados e homogêneo. A Jessica demonstra esta etapa neste VIDEO.

espalhe um pouco de água em uma superfície de trabalho e coloque a massa. Cubra com uma tigela de cabeça para baixo. Deixe descansar por uma hora para desenvolver o glúten e a masa começar a ficar aerada.

(Eu não usei a técnica da água, pois a minha massa já estava úmida demais)

Depois que a massa estiver descansada, sove novamente, esticando e dobrado-a sobre si própria. Use uma espátula para auxiliar nesta tarefa. A Jessica demonstra esta técnica neste VIDEO.

(A esta altura, minha massa estava úmida demais e não estava mantendo o formato. Não pude evitar de acrescentar mais farinha, aproximadamente 1/4 de xícara para que ficasse um pouco mais manuseável, porém úmida como este tipo de massa (sourdough) deve ser.

Enfarinhe bem um "banneton", uma espécie de cesta especialmente usada para este fim, com farinha de trigo integral, e coloque a massa lá dentro, com a pate mais lisa para baixo. Coloque a cesta dentro de um saco plástico grande, encha-o de ar e amarre-o.

(IEu não tenho um "banneton", portanto, improvisei com um escorredor de macarrão. Você pode usar, também, uma cesta de vime forrada com tecido de algodão do tipo "saco de farina")


Enfarinhei um guardanapo d tecido, limpo. Eu deveria ter usado farina de trigo integral, mas me distraí e usei branca... oops!)


e forrei o escorredor


Coloquei a massa lá dentro,


e cobri


Deixe descansar em local morno por 3 a 5 horas, até que tenha crescido bastante. Estará pronto para assar, quando apertando levemente com o dedo, a massa volte lentamente à forma.


Pré-aqueça o forno a 220°C. Forre um tabuleiro com papel manteiga culinário, e vire a massa sobre o tabuleiro, com o máximo de cuidado para que a massa não perca volume. Faça alguns cortes sobre a massa, usando uma faca afiada. Asse por 40 a 50 minutos, reduzindo a temperatura do forno para 200°C após os 10 primeiros minutos.


Infelizmente, a minha massa, após virada sobre o tabuleiro, se espalhou mais do que eu esperava, criando rachaduras nas laterais.


O pão também não cresceu quase nada a mais durante o cozimento, mas ainda assim, o miolo ficou bem aerado e com um aspecto muito bom.

Deixe esfriar em cima de uma grade e fatie somente depois de completamente frio.




O resultado é um pão bem rústico (que eu adoro) e denso. Valeu o trabalho extra! Agora, é só continuar alimentando o fermento uma vez por semana para ter sempre um fermento natural pronto para uso quando quiser fazer pão. Este fermento pode durar muitos e muitos anos, e dizem os mais experientes, que quanto mais velho, melhor fica. Durante o mês, quando trocamos idéias no fórum, descobri que muitas pessoas chegam a dar nomes para seus fermentos!