Google+ Followers

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Sopa de Mulher Parida


Dentre muitas receitas e histórias de antigamente, em especial nas cidades e zonas rurais do oeste mineiro, existe essa: os bebês nasciam em casa, com parteiras que automaticamente se tornavam mães ou avós dos recém-nascidos. Começava-se aí todo o cuidado com o resguardo, que era de quarenta dias. Não se podia lavar a cabeça, pegar peso, varrer a casa, tomar vento e sempre ficar calçada de meias, dentre outras coisas. Era preparado para a mãe nos primeiros dias essa sopa a base de farinha de milho com caldo de frango. Uma curiosidade: a galinha que estava com os pintinhos novos já se separava aquele que seria o frango para a referida sopa. Esse pintinho desenvolvia, tornando-se frango, junto com a gravidez da moça.


Ingredientes:
1 galinha caipira (aproximadamente 2 kg)
500 g de farinha de milho
Pimenta, salsa, cebolinha, alho e sal a gosto

Cortar a galinha em pedaços e cozinhá-la na panela de pressão, com os temperos, menos a salsa e a cebolinha. Após o cozimento, pôr os pedaços de carne numa tigela. Manter o caldo em fogo baixo e acrescentar a farinha de milho, mexendo sempre, para não dar pelotas. Quando ferver, despejar o caldo grosso sobre a galinha e jogar por cima a salsa e a cebolinha. Servir com arroz.

Dica: "Um detalhe importante para as parturientes é que a farinha deve ser bem torradinha. Caso contrário, causa queimação e outros aborrecimentos."

Um comentário:

  1. É a famosa canja de galinha judia.

    Um detalhe importante para as parturientes é que a farinha deve ser bem torradinha. Caso contrário, causa queimação e outros aborrecimentos.

    Tive essa dieta nos meus dois filhos, na cidade. Minha mãe preparou para mim como a mãe dela preparava, na fazenda, em cada um dos cinco filhos que ela teve. Pretendo fazer o mesmo por minha filha, quando ela tiver seus filhos.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário: